Pular para o conteúdo principal

[REVISÃO] MAX PAYNE 3

Isso é uma velharia que fiz no curso técnico de Jogos Digitais. Um trabalho de conclusão de um módulo. Olhei de relance no meu Google Drive e decidi postar sem alterações. Poderia ter postado na RDG, mas, acabei com o blog...

O que posso dizer (agora) sobre Max Payne 3  é que: Não foi um game memorável, mas é bom. Foi lançado e menos de um ano a Rockstar anuncia mais um video de GTA V - com Radio Ga Ga de Queen no trailer. O hype foi mais elevado, abafando Max Payne 3.
Max Payne 3 é um "protótipo" de gameplay de ação de GTA V  - é muito visível pra quem jogou. Até o Bullet-Time está presente no personagem Michael.

Bom, fica ai o texto feito em DEZEMBRO DE 2012 - que época de ensino médio e técnico boa!

------

MAX PAYNE 3


Parece que a Rockstar teve várias missões: Conseguir fazer um Max Payne sem a empresa Remedy Entertaniment, superar os dois jogos antecessores (Max Payne e Max Payne 2), conseguir fazer um roteiro sem o toque do criador da série, Sam Lake. E o mais díficil: fazer uma São Paulo fictícia e o mais próximo de uma realista (vice-versa).


Max Payne 3
Fabricantes: Rockstar Games (London,Toronto,New England e Vancouver)
Ano: 2012
Jogadores:1 (e mais jogadores no modo online)
Console: PS3, Xbox 360 e PC


“From New York para São Paulo”

A Rockstar conseguiu fazer (menos a São Paulo do jeito que conhece) um novo Max Payne, o melhor foi que Dan Houser (criador da franquia Grand Theft Auto) escreveu o roteiro.


Enredo

Mantendo o Max que Sam Lake deixou, Dan H. deu um rumo menos Noir para o personagem, fazendo ir para São Paulo e ser o segurança particular da fámilia Branco.
A desventura começa quando a gangue, chamada de Comando Sombra (nome mais original), tenta sequestrar Fabiana Branco, em duas tentativas: a primeira no apartamento e na segunda, que conseguem, em uma festa feita no estádio do Galatians FC (uma espécie de Corinthians fictício). E sem contar flashbacks de Max Payne, depois do segundo game, reencontrando Raul e metido numa encrenca com o mafioso Anthony De Marco, por matar seu filho em uma briga de bar em nova Jersey (...)  
Dan Houser conseguiu fazer um roteiro original e também fazer um Max mais velho e com os mesmos problemas que assombra sua vida: o trauma da morte de sua fámilia em Max Payne (PS2, Xbox e PC).


Jogabilidade

O jogo é de tiro de terceira pessoa, assim como os antecessores, mas com novidades. É possível dar zoom no game, para facilitar a mira do jogador entre os inimigos mais longes. O zoom pega no ombro de Max. A física melhora e Max também, quando joga Max pela as paredes (ou por algum objeto) ele tem reações que dá um pouco de dano no jogador, quando mais longe, pior é o dano. O sistema Bullet-time (á moda Matrix pra dummies), está do mesmo jeito que nos primeiros jogos da franquia, mas com melhora na mira e na esquiva, para deixar você feliz.O nível de Max Payne 3  é tão alto que a própria Rockstar facilitou que o jogador possa ter uma segunda chance com "Last Man Standing", faz que Max tenha uma chance em matar um inimigo para recuperar o sangue (requer analgésico). Um exemplo: quando um inimigo atira em você até a barra de sangue acabar, automaticamente o Bullet-time é ativado, e na queda de Max até a sua morte (ou não), você tem uma chance para encher o seu inimigo de balas até a morte, se bobear, morte na certa para Max, se eliminar o inimigo ainda a tempo, você volta á ativa para meter balas! Uma das novidades, que todos deram destaque, é que Max Payne 3 está mais brutal e sangrento.


Gráficos

Você, se jogou o primeiro Max Payne (e ainda dublado no PS2 ou PC), percebeu um salto na qualidade nos gráficos em Max Payne 3. É, você está velho e saudosista.
Com uso avançado do motor gráfico Euphoria (GTA IV, e outros games), Max Payne 3 tem um avanço nos gráficos, e fazendo umas curt cine estilo Metal Gear: Solid, curt-cines longas e isso é bom e trocando a velha fotonovela (comic) dos antigos games da franquia. Mesmo tirando o clima noir (visto nos antecessores), a Rockstar deixou o velho clima de filme policial. A física dos personagens e as animações está muito realista (não sei que vai acontecer num futuro próximo em avanço de gráficos, mas é 2012)! Nos flashbacks de Max, volta o velho noir-policial dos primeiros games, para quem jogou os primeiros games da franquia e saber como Max foi para São Paulo.


Dublagem e SP “Filho da putha”!

Não estou falando mal da dublagem e nem da São Paulo vista pela Rockstar, eles tentaram e não foram que nem a Ubisoft com Assasin’s Creed III, isso sim é falta de pesquisa geográfica e social. Quando a Rockstar mostrou o beta de Max Payne 3 para os editores de sites e revistas tupiniquins, muitos editores criticaram a São Paulo do beta por parecer mais Rio de Janeiro do que São Paulo. Muitos dizem que até o ônibus de São Paulo teve o mesmo modelo dos ônibus do Rio de Janeiro. Na dublagem de alguns personagens, eles tentaram, mas ficou meio “Doctor Ray”, com sotaques gringo, que até irrita para alguns. O ponto alto é na dublagem dos inimigos, está sensacional e tensa para o seu gameplay. A pesquisa da Rockstar foi tanta, que conseguiu fazer até referencias da SP real, por exemplo: a Prefeitura de São Paulo ficou “Sentinela de São Paulo” (e olha que está no logo da sentinela), os ônibus se basearam na região centro-oeste da capital, as propagandas (como a água mineral “NADA”) e nomes de lojas que ficou muito hilárias, para nós brasileiros e também do time fictício Galatians FC (claro que é uma paródia do Corinthians).


Finalizando:

Essa revisão foi mais para mostrar como a Rockstar conseguiu (mais uma vez) inovar com um game que já inovou e que era de outra empresa (Remedy). Isso pode dizer á Rockstar que não faz um trabalho feio, conseguiram até fazer uma adaptação do filme do The Warrios em beat 'em up (briga de rua) para PS2 e PSP, que ficou sensacional. Max Payne 3 é um game desafiador, até deixa você com raiva com o nível dificuldade. O interessante é como mostra a vida cão de Max no brasil, é tensa e dolorosa. Tirando a fotonovela e fazendo curt cines longas e de belos gráficos, Max Payne 3 ainda traz uma nova espécie de slots de armas e bem real: você pode usar duas armas pequenas, mas você tem remover uma arma grande de seu slot. Que jogo, recomendo você jogar os primeiros para saber a evolução da franquia, assim você pode jogar com mais vontade! E lembrando da trilha sonora do game, que está de parabéns! Recomendo.


Curiosidades:

O sistema bullet-time

O termo bullet-time é batizado no filme Matrix (1999). O efeito é de câmera lenta, em Max Payne, você ativa bullet-time em qualquer hora do gameplay (se estiver com a barra de bullet-time cheia).  Max Payne foi desenvolvido ao mesmo tempo de Matrix, mas com a popularidade do filme, a Rockstar e a Remedy esperou mais para lançar o game (em 2001) para PC, PS2 e Xbox.

Sam Lake - Max Payne

Sam Lake mesmo sendo criador e roteirista dos dois primeiros Max Payne, foi modelo de rosto para Max no primeiro game da franquia. E Lake está ainda na Remedy, o último game lançado pela produtora foi Alan Wake.
-------
RECOMENDAÇÃO: Não curto LOL. Mas, o artbook é o forte. Vejam!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[VERTIGO/DC] [HQ] 'O evangelho de Coiote' - Homem Animal

Preparando três cônicas para o blog, tive que fazer uma postagem rápida (e das boas) porque me enrolei e, quase, voltei para o zero.


Homem Animal. Pensou quem é esse Herói?
Um AquaMan em versão animal? Quase. Assim como Aquaman: depende da equipe criativa (Novos 52 mostra isso).

Homem Animal (Animal Man) é um personagem criado nos anos 60/70, isso quer dizer: "mais um".  E assim como qualquer "mais um herói", porque poucos tiveram salvação em não ficar esquecido, Homem Animal não teve essa sorte.
Mas o herói despertou curiosidade em algumas crianças na época, um deles foi Grant Morrison.
Do que viu de tão incrível nele? Olha sua introdução o porquê: Parte 1/ Parte 2/ Parte 3


Por que esse post tem o titulo de 'O Evangelho de Coiote' e não 'Homem Animal'?
Rapaz, 'O Evangelho de Coiote' foi um marco (ainda mais) para carreira de Morrison na DC. Mostrou ainda mais o lado filosófico usando metalinguagem. Nessa história Morrison usa o personag…

Sonic Mega Drive: Archie acertou dessa vez

MUSICA PARA O POST: 808 STATE - PACIFIC 202.
Archie Comics e a Sega anunciaram uma nova Série em HQ do Sonic chamada, simplesmente, de ' Mega Drive'. Será protagonizada pela versão clássica do ouriço (que ainda poderá ser protagonista do game em comemoração dos 25 anos do mascote azul da Sega). Não se sabe se haverá ligação com o universo Archie (espero que não, pela fanbase) e com o novo game da Sega que anunciou no inicio desse ano. Quando olhei para a arte de capa (feita pelo Tyson Hesse) deu aquela esperança que podemos ver uma versão em HQ mais decente do Sonic clássico. A estética pareceu as capas japonesas dos games do ouriço no Mega Drive. Me deixou animado... Mas é aquela coisa... Archie. Não que esteja diminuindo a versão da Archie, mas, aquilo não é o Sonic e o Robotinik que vejo quando era pivete no Mega Drive, era uma versão mais complexa e com muitos personagens fora do normal - mas eles não deixaram na geladeira, como a Dona Sega fez, felizmente. Sério, não le…