Pular para o conteúdo principal

Tô com Spotify: sim, vai ter playlist também...

Capa ilustrativa pra pauta. Fiz as pressas, mas está bacana.
  Tô vendo que as TAGS só são útil em títulos de discussões de fórum, em grupos de Facebook e G+. Mas ver títulos de post e video de Youtube, não cai bem mesmo (por enquanto). Tenho que lembrar se botar uma TAG em um titulo de postagem de um blog pequeno, estou entregando a proposta e não estou conseguindo chamar a atenção no principal: o conteúdo.

-----




 Uma coisa que me prende muita a atenção pra pensar ideias novas e só para distrair, no caso, é ouvir musica. Sim, também ouço para ter uma dar uma auxiliada na produtividade, mas só musicas que já havia ouvido, pois musica muito nova para mim atrapalha: dou atenção e esqueço das tarefas. Isso é comum. Para isso, fiz uma playlist para musicas que já estou habituado, no qual curto e recomendaria para qualquer pessoa sem medo. Criei uma no Spotify com o titulo de "Sp'orre'tify" (DUUUR) no qual uso para essa necessidade que havia citado.
Adicionei desde Icehouse até State 808, é uma playlist eclética: Enjoy:
 
 Gosto de ouvir algumas musicas principalmente no trem (mas sem ser no horário de pico) como 808 State e David Bowie. Distrai mesmo e deixa a viagem sem ter pressa.

 Mas para quem quer desventurar no Spotify para achar novas musicas, segue essa dica que faço aqui:



 Geralmente, recomendo você ouvir as musicas ao seu gosto, pegar artistas e bandas que já conhece e seguir e ouvir. Nota-se que mais vezes você sair e voltar no Spotify, eles vão dar recomendações de bandas onde tem alguma ligação, desde gênero, pais, ano e até algum dueto em algumas das musicas.
No caso aqui nessa imagem (1): fui tranquilo na aba 'Dicover (Descobrir)'  e olha quem eles recomendaram...
(2)Nota que tem uma relação de cada artista com o seu 'Favorito' que o Spotify deduziu e escolhe.
(3) Enjoy.
Não deixa de ouvir Midnight Oil, os caras mandam bem!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[VERTIGO/DC] [HQ] 'O evangelho de Coiote' - Homem Animal

Preparando três cônicas para o blog, tive que fazer uma postagem rápida (e das boas) porque me enrolei e, quase, voltei para o zero.


Homem Animal. Pensou quem é esse Herói?
Um AquaMan em versão animal? Quase. Assim como Aquaman: depende da equipe criativa (Novos 52 mostra isso).

Homem Animal (Animal Man) é um personagem criado nos anos 60/70, isso quer dizer: "mais um".  E assim como qualquer "mais um herói", porque poucos tiveram salvação em não ficar esquecido, Homem Animal não teve essa sorte.
Mas o herói despertou curiosidade em algumas crianças na época, um deles foi Grant Morrison.
Do que viu de tão incrível nele? Olha sua introdução o porquê: Parte 1/ Parte 2/ Parte 3


Por que esse post tem o titulo de 'O Evangelho de Coiote' e não 'Homem Animal'?
Rapaz, 'O Evangelho de Coiote' foi um marco (ainda mais) para carreira de Morrison na DC. Mostrou ainda mais o lado filosófico usando metalinguagem. Nessa história Morrison usa o personag…

[REVISÃO] MAX PAYNE 3

Isso é uma velharia que fiz no curso técnico de Jogos Digitais. Um trabalho de conclusão de um módulo. Olhei de relance no meu Google Drive e decidi postar sem alterações. Poderia ter postado na RDG, mas, acabei com o blog...

O que posso dizer (agora) sobre Max Payne 3  é que: Não foi um game memorável, mas é bom. Foi lançado e menos de um ano a Rockstar anuncia mais um video de GTA V - com Radio Ga Ga de Queen no trailer. O hype foi mais elevado, abafando Max Payne 3.
Max Payne 3 é um "protótipo" de gameplay de ação de GTA V  - é muito visível pra quem jogou. Até o Bullet-Time está presente no personagem Michael.

Bom, fica ai o texto feito em DEZEMBRO DE 2012 - que época de ensino médio e técnico boa!

------

MAX PAYNE 3

Parece que a Rockstar teve várias missões: Conseguir fazer um Max Payne sem a empresa Remedy Entertaniment, superar os dois jogos antecessores (Max Payne e Max Payne 2), conseguir fazer um roteiro sem o toque do criador da série, Sam Lake. E o mais díficil: fa…

RECOMENDAÇÃO NETFLIX: Documentários de Metal e Games

Durante esse final de semana, vi três documentários na plataforma Netflix. Então, vou recomendar dois: 'Metal: Uma Jornada pelo Mundo do Heavy Metal' e Global Metal, porque são sensacionais (e obrigatórios).
 E tem mais um que vi e me deixou decepcionado (em partes) e vai ser o 1° que vou falar... Então, acompanhe a seguir:

(1/3) - [2014] Video Game: The Movie

  Esse documentário é mais uma tentativa fracassada de juntar 'grande orçamento' + Video Game. Video Game não é algo tão complexo para falar, temos ótimos canais de Youtube que falam sobre isso.
 Enfim: é mais um documentário para gente que não é habitue tanto ao universo Gamer. Com a narração de Sean Astin (Senhor dos Anéis e Goonies) o documentário tenta mostrar com uma estética de linha temporal muito boa... Aparenta.
 De inicio eles começam a falar da fase Atari (que foi muito bem explicado) mas, quando vai mais para frente sempre deixa uma parte nebulosa (buracos) na evolução dos consoles, sempre puxando ao…